Dicas de Turismo no Cairo – Egito




Cidade é uma das mais baratas do mundo para se viajar.

Viajar. Um verbo que simboliza desejos, objetivos e sonhos de muitas pessoas. Algumas até alegam que trabalham para pagar suas viagens. Por isso, escolher um lugar que seja lindo e não custe tão caro torna-se imperativo para não acabar se endividando e parando de viajar para pagar contas de outros passeios.

Para facilitar suas pesquisas, o site LastMinute publicou um ranking de cidades mais baratas para conhecer. Dentre as concorrentes estavam Rio de Janeiro (Brasil), Paris (França) e Tóquio (Japão), porém, quem levou o prêmio foi Cairo, capital do Egito. Lá você pode aproveitar a cidade com relativamente pouco dinheiro. Segundo o site, com cento e oitenta reais você consegue se hospedar, comer o suficiente, andar pela cidade e visitar as principais atrações por um dia.


Egito, como via de informação, é oficialmente chamado de República Árabe do Egito, localizado na região nordeste da África, cujo bioma predominantemente é deserto, incluindo também uma parte do território asiático, sendo portanto intercontinental. Banhado pelos mares Mediterrâneo e Vermelho, o Egito é um dos países mais populosos daquele continente e sua história remete a mais de dez milênios antes de Cristo. As atrações turísticas são uma das principais fontes de renda do país, que aliadas às atividades de agricultura, industriais e de serviços, sustentam a economia egípcia. Viajar para lá é uma ótima oportunidade de conhecer outras culturas e se deliciar com as atrações.

E olha que não são poucas as atrações. Para começar, temos as famosas pirâmides de Gizé, que são as mais antigas maravilhas do mundo e, de fato, são túmulos dos tempos faraônicos. Compondo um complexo de grandes pirâmides, a Esfinge, vários outros cemitérios, uma vila ancestral operária e um complexo de indústrias. Outro ponto turístico são as confusas ruas do agradabilíssimo mercado Khan Al Khalili – lá é possível encontrar sapatos , tecidos, materiais de cristal, joias, especiarias as mais diversas e muita gente, tomando seus chás e vivenciando o coração de Cairo. Sua origem advém do século XIV e atendia principalmente outros comerciantes ambulantes e foi se firmando como feira onde pode se encontrar de quase tudo.

Não é permitido ir até Cairo e não passear pelo motivo de haver civilização naquela região: o Rio Nilo. Considerado o mais extenso do mundo, sua bacia hidrográfica abrange dez países e é formado por três outros afluentes. Assim Tanzânia, Burundi, Uganda, Quênia, Ruanda, Etiópia, Sudão do Sul, República Democrática do Congo, Sudão e Egito utilizam suas águas para o cotidiano e para turismo.


Voltando aos passeios históricos, o Vale dos Reis é outra pedida para a viagem a Cairo. Esse lugar foi construído entre os séculos XVI e XI antes de Cristo para abrigar os restos mortais de faraós e nobres das quatro dinastias do Antigo Egito. Lá existem sistemas de câmaras, chegando ao impressionante número de 120, como é o caso da tumba KV 5. Em 1979, o Vale dos Reis se tornou patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O fato de o mercado turístico na região ter aumentado cerca de 55% nos últimos anos denota um crescente interesse em redescobrir o Egito histórico e os investimentos para recepção de visitantes. Não é difícil encontrar promoções de passagens de avião para o continente africano, o que pode facilitar ainda mais suas contas de viagem. Então embarque nessa viagem aos antigos tempos de faraós e descubra o que mais o Egito e também outros países africanos têm a oferecer e o que você pode auxiliá-los em seu desenvolvimento!

Mateus Aparecido de Faria



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *