Turismo em Mendoza – Dicas de Viagem




Confira aqui algumas dicas de viagem para Mendoza, na Argentina.

Atualmente, a prática de turismo consiste em uma das atividades mais rentáveis no mundo, sobretudo se as regiões visitadas apresentam algo de muito especial, atrativo e quase único.

Este é o caso de Mendoza, na Argentina. Deste modo, estando à frente de quaisquer outros países, em todo o planeta Terra, a Argentina durante muitas décadas consagrou-se como a maior consumidora de vinhos. Apesar desta fama, o seu produto nacional tinha bem pouca qualidade.


Entretanto, esta situação iniciou uma qualitativa mudança, há mais ou menos 30 anos. Na medida em que os produtores da região de Mendoza iniciaram a construção de uma nova bodega, intitulada Catena Zapata, esta situação os permitiu angariar um espaço que fez avançar muito à frente de outras já existentes. Nesta bodega foram desenvolvidas as mesmas técnicas já colocadas em prática na Califórnia, que é uma das referências em termos produção de vinho, no mundo.

A hoje conhecida como prata-da-casa, a uva Malbec, foi subestimada por muito tempo pelos próprios enófilos. Atualmente, esta fruta está sendo cultivada com imenso cuidado e produz novo brilho, dado que é plantada nas partes mais altas da região. De pouco em pouco, a grande maioria dos críticos foi aceitando este novo procedimento. Nos últimos 15 anos todas as melhores bodegas da cidade de Mendoza são, literalmente, testemunhas da peregrinação de grupos de enófilos de carteirinha, para suas paragens.

Depois deste preâmbulo, será fácil perceber que uma viagem turística para esta região não é coisa somente para o chamado “connaisseur”. Desde que são 130 vinícolas, ou bodegas, em língua espanhola, que estão todas abertas aos visitantes, aos turistas, que vão à cidade de Mendoza, conhecida hoje em dia como a Eno-Disney, voltada para todos, sejam os iniciados, sejam os iniciantes.


Toda pessoa que está começando a perceber o valor deste universo do vinho, terá chances de organizar um bom itinerário de turismo até àquela região, sendo possível, a partir daí, contemplar essa qualitativa evolução de que a cidade de Mendoza foi protagonista nas últimas décadas.

Um roteiro simples e significativo pode abranger cinco dias em Mendoza:

A partir de cinco dias, todo turista poderá realizar um tipo de tour bem completo àquela região. Na primeira fase, o turista poderá reservar uma excursão de Alta Montanha. Para os dias seguintes os turistas estarão participando das degustações, de modo a poderem escolher, ao menos, duas entre as três grandes regiões onde há produções em vinícolas. Exemplos para visitação: a Valle de Uco e a Luján de Cuyo, ou mesmo Maipú. Existem diversos horários vagos para excursionar por toda a cidade de Mendoza.

O roteiro pode ser o seguinte:

Primeiro dia é o da chegada; segundo dia, da excursão para Alta Montanha; terceiro dia é o da visita às vinícolas de Luján de Cuyo ou Maipú; o quarto dia é o da visita às vinícolas no Valle de Uco e o quinto dia é o da partida dos turistas.

Poderá ser realizado um tour de seis dias em Mendoza:

Ao longo de seis dias e cinco noites, os turistas poderão realizar o seguinte itinerário:

Primeiro dia é o da chegada; da excursão para Alta Montanha; terceiro dia é o da visita às vinícolas de Luján de Cuyo; o quarto dia é o da visitação a Maipú; o quinto dia é o da visita às vinícolas no Valle de Uco e o sexto dia é o da partida dos turistas.

Todas as pessoas interessadas poderão reservar hospedagem, previamente, sendo que as mais recomendáveis são as pousadas do Valle de Uco.

Paulo Henrique dos Santos



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *