A Boca da Onça Ecotur, localizada em Bodoquena (MS), traz em seu roteiro de atividades o Rapel na Boca da Onça, que constitui-se em uma descida por um paredão de 90 metros de altura.

A ponte que leva ao início do rapel possui 34 metros de comprimento, e leva o aventureiro até o “abismo”, há 15 metros de distância do paredão, de onde se inicia o rapel.

Para a preservação da estrutura, o rapel na Boca da Onça é praticado de forma diferente, não havendo o apoio dos pés no paredão.

O “abismo”, na realidade, é o Cânion do Rio Salobra, que pertence à Bacia do Rio Paraguai e nasce na Serra da Bodoquena, sendo  “um dos berçários dos peixes do Pantanal”.

O cânion em si foi escavado em rocha calcária, pela força das águas do Rio Salobra, com seus paredões possuindo incríveis formações rochosas entalhadas há milhões de anos.

O rapel localiza-se em uma Fazenda que conta também com cachoeiras e trilhas, além de encantadora paisagem, formada pela fauna e flora típica da região.

Por Laura Skws.


A Boca da Onça, em Bodoquena, a 267 km de Campo de Grande, é uma região que oferece inúmeros atrativos naturais e esportes radicais. O turista pode escolher entre o cicloturismo para observar a natureza, o roteiro completo tem 40 km de trilhas, mas pode-se optar entre modalidades de menor e maior grau de dificuldade.

O canionismo também é praticado na Boca da Onça, o cenário é o Rio Salobra, onde se observam espécies de animais e plantas da Serra da Bodoquena. O trajeto inclui um enorme cânion e paisagens de locais pouco explorados.

Na trilha ecológica, anda-se por uma vegetação preservada que protegi 11 cachoeiras, como a fascinante Cachoeira Boca da Onça, que tem um salto com 156 metros – a mais alta do Estado. Por fim, refresque-se nas piscinas naturais do Rio Salobra.

Algumas sugestões para pousar:

  • Hotel Fazenda do Betione (67) 3383.6848
  • Catarinense Hotel (67) 3268.1664





CONTINUE NAVEGANDO: