Entre as ruas da capital da Alemanha podemos encontrar grande parte da sua história plasmada em monumentos e lugares importantes.

Nos últimos tempos Berlim tem sido uma das cidades europeias mais visitadas por turistas do mundo todo. Entre as ruas da capital da Alemanha podemos encontrar grande parte da sua história plasmada em monumentos e lugares importantes tais como museus, praças, memoriais e outros atrativos.

Para descobrir e explorar essa capital multicultural, divertida e tensa ao mesmo tempo, vamos listar 6 pontos turísticos que não podem faltar no seu guia de viagem.

Muro de Berlim:

Já se passaram mais de 25 anos da queda do Muro que dividiu a cidade em duas partes e, ao longo do tempo, a capital alemã vem renascendo como uma grande metrópole do século XXI. O pedaço maior do Muro original se conhece como East Side Galery. Medindo 1.200 metros, o lado oriental do Muro foi pintado por artistas de 21 países e é um dos memoriais que representam os momentos de tensão no país, a Guerra Fria.

O muro foi levantado na noite de 12 de agosto de 1961 separando a Alemanha em duas partes, o lado ocidental capitalista (pertencente aos setores estadounidense, francês e britânico) e o lado oriental socialista (pertencente ao setor soviético), o que provocou a morte daqueles que tentavam cruzar a fronteira e separou inúmeras famílias. Sua queda em 9 de novembro de 1989 reunificou as Alemanhas e foi um marco na história mundial.

Checkpoint Charlie:

Outro ponto histórico, ainda guarda uma réplica do cartel que avisada a saída e entrada do setor norteamericano ou do setor soviético. Era a fronteira entre os dois mundos separados pelo Muro e onde se encontra hoje um museu dedicado aos que tentaram escapar e ultrapassar a fronteira. O Checkpoint Charlie foi cenário de filmes e há quem goste de guardar fotos como lembrança com os soldados figurantes que se encontram em frente ao cartel.

Museu do Holocausto:

A alguns metros da Porta de Brandeburgo, a mais antiga porta de entrada à capital se encontra o Memorial do Holocausto. Nenhum monumento na Alemanha provocou tantas sensações como este conjunto de 2.711 blocos de concreto de alturas diferentes. Está localizado nos terrenos da antiga sede do governo de Hitler uma superficie de 20.000 metros quadrados e obra do arquiteto americano e judeu Peter Eisenman. O Memorial simula um cemitério em memória das seis milhões de vítimas do nazismo na II Guerra Mundial e foi inaugurado em maio de 2005.

Ilha dos museus:

É um complexo situado no rio Spree, distrito de Mitte, está conformado por cinco museus que propõem aos visitantes pequenas e grandes histórias: Museu Pergamon, Museu Atles, Museu Bode, Museu Neues e Alte Nationalgalerie. A Ilha é patrimônio mundial da UNESCO pelo seu conjunto arquitetônico e cultural únicos no mundo.

Praça Gendarmenmarkt:

Para os berlinenses a praça é um dos cenários públicos mais lindos da Alemanha. Duas catedrais compratlilham o espaço da praça que foi construída m 1688 e restaurada após os danos causados pela II Guerra Mundial. A Igreja Francesa protestante de Friedrichstadt foi edificada entre 1701 e 1705 e sua torre inaugurada em 1786. A Catedral alemã que fica em frente à Catedral francesa também foi edificada em 1701 e terminada em 1708, foi restaurada inumeras vezes devido aos danos da guerra e funciona hoje como um museu.

Ao redor da praça se concentram vários restaurantes, lojas e hotéis.

Potsdamer Platz:

Uma das praças mais movimentadas de Berlim já foi arrasada durante a II Guerra Mundial e partida em dois pelo Muro. Hoje em dia, completamente reformada voltou a brilhar com o mesmo esplendor que tinha antes de ser destruída.
Vários arquitetos, após a queda do Muro, utilizaram a área desta praça para construir uma série de edificios que representassem a nova Berlim unificada e moderna. O Sony Center se caracteriza por sua enorme cúpula de cristal e aço iluminada com luzes que vão mudando de cor e, subindo a Torre Kollhoff é possível ter uma das melhores vistas do centro de Berlim pelo mirante Panoramapunkt.

Também é possível fazer passeios de bicicleta organizados por grupos de excursões e desfrutar da extensa oferta de restaurantes com culinária local e internacional.

Mesmo que seu passado trágico apareça demarcado nas ruas, a cidade hoje é um espaço de multiplas culturas com seus encantos históricos e oferece variedade para todo tipo de gosto.

Por Ana Luiza Suficiel


Berlim é a capital da Alemanha e uma das cidades mais importantes do mundo. Após a queda do muro, que separava a Alemanha Oriental da Alemanha Ocidental, simbolizando também a divisão do mundo entre capitalistas e socialistas, em 1989, Berlim se tornou um símbolo de esperança de entendimento entre as nações do planeta.

E quem visita a cidade se deslumbra com a quantidade de atrações que ela oferece, além de sua excelente infra-estrutura. Um passeio de barco, por exemplo, permite vislumbrar marcos históricos como a antiga Catedral de Berlim e a ilha dos museus, e acompanhar os momentos de descontração dos turistas na Praia da Imprensa.

Em Berlim, se respira arte, cultura e história. Um lugar ideal tanto para quem quer saber um pouco mais sobre os conflitos gerados durante e no pós-guerra quanto para quem quer aproveitar as férias curtindo musicais, shows, óperas, concertos e os bares da região. O site www.visitealemanha.com abre as portas para o turista. Visite!

Por Rosane Tesch


Frankfurt está localizada na região no centro-oeste da Alemanha. Sua atual prefeita costuma chamar a cidade carinhosamente de "a menor metrópole do mundo". A designação tem a ver com a alma do mais respeitável centro financeiro de toda a Alemanha.

A cidade também é famosa por seus enormes arranha-céus e por sua intensa e agitada vida cultural, mas ainda assim consegue transmitir a sensação de uma cidade quieta e organizada.

Apesar de freqüentemente não fazer parte dos itinerários dos turistas, Frankfurt é um dos mais importantes e respeitáveis centros culturais de toda a Europa. A cidade abriga, inclusive, a maior Feira Internacional do Livro do mundo.

Para passear pelas belas e organizadas ruas da cidade, repletas de flores e árvores, estão disponíveis nove linhas de trens urbanos, sete linhas de metrô, trens elétricos e linhas de ônibus. Há também ciclovias impecáveis e de excelente infra-estrutura.

Por Juliete Lunkes


Há exatos 20 anos, o muro de Berlim que dividia a cidade em dois lados, estava sendo derrubado. Essa queda, modificou e muito os hábitos de toda a população, que apesar das mudanças não perdeu sua cultura e nem seu charme.

Capital da Alemanha, Berlim tem muito que contar, por isso, os museus, centros de artes, e muitos monumentos a céu aberto, são as principais atrações da cidade. Porém para quem é mais afim de vida noturna, Berlim tem bares ótimos, a cidade fica lotada a noite e quem sai para se divertir não se arrepende!

O que é bem interessante, é ver que mesmo com a queda do muro, as diferenças entre as condições de vida das pessoas dos lados que eram separados por ele continuam bem desiguais, mais que se pode descobrir muita coisa bacana em ambos os lados.

Por Susan Mélany


O estilo barroco das igrejas se mescla à modernidade de Hamburgo, no norte da Alemanha. Considerada por muitos a Veneza do norte, a cidade é construída às margens do Rio Elba.

Hamburgo é a segunda maior cidade da Alemanha e também uma das mais ricas do país. Altos edifícios e construções gigantescas rodeiam esta cidade, que é uma das mais modernas da Europa.

O turista pode ter uma vista privilegiada de cima da Igreja Hauptkirche St. Michaelis. Ou conhecer o parque Alsterpark, que abriga um grande jardim e áreas para o lazer. E para relaxar o visitante pode remar nas águas do Lago Alster.

Por Rosana Radke

Hamburgo


Na Alemanha, fica a região da Baviera, mundialmente conhecida por seus castelos centenários. Já imaginou ir até a região e ficar hospedado numa destas grandiosas construções? Isso mesmo, alguns abriram as portas para os visitantes e hoje servem de hotéis.

Cerca de 50 castelos funcionam como hotéis na região da Baviera. Uns são rústicos, ainda à moda antiga, outros verdadeiros palácios de luxo. A arquitetura e a decoração também alteram, o difícil é escolher em qual ficar.

A maioria destes majestosos pertence à famílias nobres alemãs. Um dos mais visitados é o Schloss Ludwigsech, o castelo de von Gilsa, que fica a uma hora e meia de Frankfurt. O castelo fica em meio a uma floresta e possui cerca de 30 quartos.

Por Rosana Radke





CONTINUE NAVEGANDO: