Gol anuncia Cobrança por Mala Despachada



  

Saiba aqui como funcionará a cobrança por mala despachada na Gol.

A primeira empresa aérea brasileira a afirmar que irá cobrar pelo envio de mala, foi a Gol. Por determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), foi autorizada a cobrança, que estará em vigência a partir do dia 14 de março do corrente ano.

A Gol comunica que contará com uma classe tarifária mais reduzida para aquelas pessoas que não precisarem enviar bagagens e ofertará em separado a opção de obter uma franquia, que será orçado por unidade, observado os tamanhos e peso determinados. A quantia que será cobrada por peso não foi indicada.

De acordo com a companhia, o custo cobrado por bagagem será maior conforme a quantidade de malas que cada passageiro enviar. Como exemplo: a primeira mala terá um valor mais reduzido que a segunda, que terá um valor mais reduzido que a terceira. E assim sucessivamente.

A Gol oferece esta atividade em todos os seus canais de atendimento, mas a companhia vai incentivar que o passageiro acerte o despacho antes de sua viagem, através de preços promocionais.

A companhia comunica também que os clientes mais frequentes estão nos níveis superiores do seu plano de fidelidade, o Smiles, possuirão condições individualizadas. Terão o mesmo direito os passageiros que adquirirem passagens com classes tarifárias de valores mais elevados, que já estará incluído o valor da bagagem despachada.





A Gol salientou que irá abrir um canal de atendimento específico para sanar dúvidas sobre o assunto e que a determinação da Anac inclusive, amplia de 5 kg para 10 kg o peso da bagagem de mão.

Outra companhia, como a Azul, comunicou que está analisando ainda sua tática comercial, mas que está se adaptando para cumprir todas as atuais ações determinadas pela Anac, inclusive a medida da franquia de bagagem, sendo que farão um informativo, em breve, dando mais pormenores se por acaso houver alguma alteração nessa questão.

A Avianca comunicou também, que implantará as novas medidas da Anac no prazo estipulado e que considera que as ações determinadas pelo órgão regulador torna mais próximo as normas do setor aos padrões internacionais".

O Congresso não reagiu bem as novas medidas da Anac. Um projeto de decreto legislativo foi aprovado pelo Senado, para depor a medida do órgão, mas o projeto precisa ainda ser analisado pela Câmara dos Deputados Federais para realmente impedir a resolução da Anac, que vigorará em 14 de março do corrente ano.

Lucineia Fatima Campos



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *