Cruzeiros Marítimos – Influência financeira no litoral paulista



  

Os índices que envolvem os vários pontos da economia bateram recordes sobre recordes em 2010. O segmento de veículos automotores, por exemplo, conquistou elevadas taxas de vendas, as melhores da história, em pelo menos três ocasiões. O setor da aviação civil, com o aumento do poder de compra da população, além do maior número de postos de trabalho criados, passou a fazer parte, definitivamente, dos planos da nova classe média.

O turismo vias marítimas também se apossou dos consumidores, no bom sentido da palavra, para alavancar sua atuação. Os reflexos devem ser sentidos ainda em 2011, tanto que até o final da atual temporada, com término em maio, Ubatuba e Ilhabela devem acolher mais de 345 mil cruzeiristas.

A Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar) estima que a despesa média em cruzeiros, por turista, é de R$ 200 reais por dia nas cidades em que são realizadas escalas (estimativa que considera temporadas anteriores). Com base nesses cálculos, os municípios podem aguardar movimentação financeira de R$ 69 milhões apenas se considerado o comércio, valor superior em 11,65% ante o período 2009/2010.





O aumento de turistas deve ser particularmente bom daqui a três anos (2014), ocasião em que o país receberá a Copa do Mundo. Muito se comenta sobre o segmento de aviação civil, mas o marítimo deve granjear sua parcela.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *